Sérgio Valentim
Clique para imprimir a foto
Ficha Técnica
 

NOME: Sérgio Wagner Valentim.
MODALIDADE: Futebol.
FILIAÇÃO: Hércules Valentim e Leonor Battan Valentim.
NASCIMENTO: 22/05/1945.
LOCAL: Chavantes (SP)
ATIVIDADE: Depois de parar de jogar, passou a trabalhar como técnico de futebol, tendo dirigido Taubaté e São José os dois principais clubes do Vale do Paraíba: E também o Grêmio Santanense, de São José dos Campos. Desenvolveu atividade comercial montando uma Transportadora e depois abrindo uma loja de Vitrais, em São José. Mais recentemente passou a atuar como comentarista no canal SporTV.
CLUBES: São José, Paulista de Jundiaí, Taubaté, São Paulo, Corinthians Paulista, Coritiba e voltou para o agora São José Esporte Clube.
CONQUISTAS: Campeão paulista da 3ª Divisão em 1964 e da Segunda Divisão em 1965, campeão do Torneio Rui Dória em 1966, pelo Esporte Clube São José; Bicampeão paulista pelo São Paulo em 1970/71. Foi convocado para a Seleção Brasileira que disputou a Mini Copa, em 1972, no Rio de Janeiro (o Brasil foi campeão).

Histórico
Nasceu no município de Chavantes, na região de Ourinhos, mas se considera joseense, onde viveu sua adolescência e permanece na cidade. Sua vida esportiva começou em São José dos Campos. Afinal, seus pais o trouxeram com cinco meses de idade quando fixaram residência no Vale do Paraíba. Na década de 1960 atuou em algumas equipes amadoras, como o Rhodosá e nas categorias de base do (Esporte Clube) São José, conhecido como o Formigão do Vale.

Quando o presidente Mário Ottoboni colocou o então Formigão no futebol profissional, Sérgio Valentim começou a aparecer com destaque dividindo a posição de goleiro com o companheiro Gallo e logo ganhando a titularidade. Era uma tranquilidade para o técnico Diede Lameiro por causa de sua segurança no gol. Boa postura, colocação e saída do gol para praticar defesas portentosas. Também era pegador de pênalti. Na final da Terceira Divisão de 1964 foi um capítulo à parte: fez defesas milagrosas em Fernandópolis e pegou um pênalti cobrado por Jesuz. O São José venceu por 2 a 1. No jogo da volta, garantiu o empate de 0 a 0 contra a Bancária de Fernandópolis e o Formigão foi campeão, subindo para a Segunda Divisão. Estava nascendo o "São" Sérgio, que mais tarde iria brilhar no São Paulo, com passagem pela Seleção Brasileira.

Sérgio realizou 105 jogos com a camisa do São José: em 64 e 65 como Formigão do Vale e em 1979, como Águia do Vale, quando encerrou a carreira. Com a camisa do São Paulo foram mais de 203 jogos, sendo bicampeão paulista (70/71), disputou duas "Libertadores" e tem um vice-campeonato brasileiro, tendo perdido o título para o Atlético Mineiro (1970). Perdeu a Libertadores para o Independiente, na Argentina (1974), numa final espetacular que teve três partidas (2x1, 0x2 e 0x1). No campo do Independiente teve que ficar quase o jogo inteiro na risca da grande área, pois atrás do gol os torcedores o hostilizavam com estilingadas sem que a arbitragem tomasse providências. Pelo Corínthians foram 61 jogos (1975-1976). Deu azar, pois quebrou o braço num amistoso com a Portuguesa de Desportos - e acabou perdendo a posição para Tobias. Antes do Corínthians saiu a convocação para a seleção brasileira e participou do grupo que disputou a Minicopa de 1972, no Rio de Janeiro. Neste ano jogavam na Seleção dois goleiros que haviam pertencido ao São Jose (Sérgio e Leão).

Sérgio jogou uma partida pela Seleção Brasileira - um amistoso contra a Seleção Gaúcha no dia 17 de Junho de 1972, que terminou com o empate de 3 a 3, no Beira-Rio, em Porto Alegre. O técnico era Zagallo, e a Seleção que jogou foi esta: Leão (Sérgio); Zé Maria, Brito, Vantuir e Marco Antônio; Clodoaldo, Wilson Piazza e Rivelino; Jairzinho, Leivinha e Paulo César Lima. Os gols foram de Jairzinho, Paulo César Lima e Rivelino. Para os gaúchos: Carbone (2) e Claudiomiro.

Sérgio Valentim casou-se com Regina, mas ficou viúvo em 2004. Tiveram duas filhas (Adriana e Flávia) e um neto que tem o nome do avô. Orgulha-se de ter sido a primeira revelação do futebol profissional do São José que se encaminhou para um grande clube do futebol brasileiro - o São Paulo Futebol Clube. Em troca de seu passe, o São Paulo custeou o primeiro sistema de refletores para jogos noturnos no velho Estádio Martins Pereira, que ficava na Rua Antonio Saes no centro de São José dos Campos, negociação feita pelo presidente Mário Ottoboni.

Fonte: Alberto Simões/Museu de Esportes